quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Ansiedade e seus benefícios mesmo no sofrimento.


Muito comumente estamos acostumados a compreender que tudo o que nos tira de nosso estado aparentemente normal do dia a dia, deve ser visto com cautela, e até mesmo extinguido de nossas vidas.

Com a ansiedade não é diferente. A cultura em que estamos inseridos nos diz que devemos fazer uma limpeza de tudo o que é ruim, de tudo que nos afasta de um equilíbrio, ou ainda, chegar aos extremos de negar em nós, ou rejeitar de nós tudo o que é diferente daquilo que idealizamos para nós mesmos.

Esta atitude muitas vezes traz ainda mais sofrimento, e assim também é com a ansiedade.

Sabemos que a ansiedade gera em nós um mal-estar, e que muitas vezes tira o sono, às vezes aumenta o sono, em algumas pessoas aumenta a vontade e comer, em outras a pessoa fica imobilizada, sem conseguir fazer nada, apática, e até em casos um pouco mais sérios, chega a causar a famosa depressão.

Algumas pessoas procuram os médicos, e começam a tomar medicamentos específicos. Uns para dormir, outros para reduzir o apetite, alguns até para emagrecer visto que estão comendo muito mais do que deveriam. Existem também os medicamentos que irão atuar justamente na ansiedade. Antidepressivos diversos, ansiolíticos, entre outros medicamentos que são mais conhecidos como calmantes. Bom, tudo isso traz uma redução dos sintomas, mas o que estaria gerando esta ansiedade?

A psicanálise percebe que a ansiedade tem dois lados. Primeiro como proteção, um recurso que temos em nós que nos ajuda em momentos de grandes dificuldades específicas. Gostaria de salientar que estas dificuldades são específicas de cada pessoa, ao invés de dificuldades gerais da espécie humana.

Um momento de ansiedade que exemplifica bem seu lado protetor, pode ser encontrado no período anterior às provas. Muitos alunos se dedicam ainda mais aos estudos para se protegerem de um fracasso. A ansiedade aumenta e a pessoa vai se preparando para o amanhã. Isso acontece tanto nas escolas quanto nos trabalhos das pessoas em geral. A ansiedade irá aumentar sempre que temos alguma coisa muito importante para realizar e isso nos ajuda a ter mais forças para realizar com maior precisão e perfeição determinado trabalho.

É claro que em muitos momentos a ansiedade pode também ser ruim para o sujeito. Freud desde 1926 já atentava para este lado da ansiedade, porém, sem classificá-la como uma doença, ou um distúrbio. Ao contrário, a ansiedade generalizada de seus pacientes era tratada com muita conversa, muita atenção e aos poucos, sem o uso da medicação os pacientes iam melhorando e descobrindo os reais motivos pelos quais eles estavam naquele estado. O que diferencia uma ansiedade normal, e que de certa forma é a até mesmo produtiva, de uma ansiedade que traz muito mais sofrimento para a pessoa do que consequências positivas é justamente a capacidade de conhecer os motivos pelos quais a pessoa encontra-se neste estado e qual a reação que a pessoa tem com este momento "do ser".

Vejam bem, não podemos classificar a ansiedade por um tempo determinado. Por exemplo, peguemos duas falas:

"Faz dois anos que não paro quieto, que não durmo direito, vou deitar as 23:00 e acordo umas 06:00 da manhã, sei que sou ansioso, não consigo esperar, as coisas tem que ser pra já.".

Se a pessoa esta convivendo com isso numa boa, tendo relações satisfatórias com os outros e consigo mesmo, não existindo um mal estar específico por parte da pessoa, de fato, não podemos classificar isso como uma doença. Claro que ela pode melhorar, mas ela tem que querer melhorar, tem que ter um motivo real que a faça buscar ajuda, mas para isso ela precisa querer ajuda.

Outra pessoa chega à clinica e diz que:

"Há uma semana não consigo mais cochilar depois do almoço. Quando deito meus olhos se fecham, mas meu corpo parece que não descansa e quando durmo, neste pequeno espaço de tempo, ainda assim tenho sonhos perturbadores. Não consigo mais descansar depois do almoço e parece que acaba estragando meu dia todo, porque fico pensando: o que será que esta acontecendo comigo?".

Esta pessoa tem um problema com a ansiedade? Podemos dizer que sim, pois ela identificou que na vida dela, isso não esta legal. Alguma coisa mudou e ela precisa descobrir o que aconteceu com ela que aquele sono que antes era tão agradável e reconstituinte de suas forças passou a ser um tormento em sua vida.

Percebam que são dois casos em que podemos identificar a ansiedade sem maiores dificuldades, porém no primeiro caso a pessoa encontrou uma forma de coexistir com o sintoma, sem necessariamente extingui-lo de sua vida. Tornou o sintoma da ansiedade produtivo até onde ela conseguiu.

No segundo caso, a ansiedade apareceu como um perturbador do cotidiano da pessoa. Trouxe para ela um mal estar muito grande, não apenas por ter perdido o sono, mas pelo pensamento de que alguma coisa mudou e ele não sabia o que era.

A psicanálise compreende que a ansiedade é apenas um sintoma. Quando digo sintoma, me refiro a um sinal, a um indicativo de que alguma coisa esta para acontecer, ou que precisa ser feita.

O que ocorre em muitos casos é que de repente a ansiedade é apenas um excesso de vida em um corpo em que o sujeito esta cansado da mesmice do dia a dia, muito mais um processo inconsciente do que uma coisa que a pessoa saiba de antemão o que esta acontecendo. É mais um sintoma de uma mudança que se faz necessária para que a pessoa sobreviva aos perigos que vai enfrentar.

Justamente pela característica subjetiva destes problemas, o analista não pode propor mudanças a seu cliente que ele faria em sua vida caso estivesse no lugar dele. Diferente do que acontece no dia a dia, nas conversas com familiares e amigos, o cliente deve encontrar em si mesmo, o que de fato esta acontecendo consigo e o que fazer com isso tudo. Claro que o analista tem seu papel fundamental de acompanhar o cliente nesta jornada, mas interferindo o mínimo possível na vida e nas escolhas das pessoas, sem julgamento moral, sem repressões, sem condenações. E isto é muito importante para quem procura ajuda para este tipo de problema.

Mas mesmo este lado da ansiedade que nos faz sofrer também indica um caminho para nossa proteção, agora os motivos pelos quais estamos buscando tanto uma proteção que não encontramos, e o que tem nos ameaçado que estamos querendo nos proteger, isso precisa ser visto com tempo, com cuidado e também de preferência com o acompanhamento de um bom profissional.

4 Clique aqui para comentários: :

Postar um comentário

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Grants For Single Moms