quarta-feira, 20 de julho de 2011

Tempo e desejo.

Tenho 20 minutos. É tudo que tenho para entrar no blog e postar depois de muito tempo. 

20 minutos para sentar em frente ao computador, pensar em alguma coisa e escrever aqui, apenas para dizer que não morri e que o Blog, embora esteja em baixa, vai continuar.

Estou na verdade querendo explicar-me aos leitores.

Enquanto agumas pessoas estão de férias, consegui outro estágio e nestas últimas 2 semanas estarei trabalhando em dois lugares ao mesmo tempo. A noite estou lendo e trabalhando em uma apresentação para a VI Jornada de Saúde Mental e Psicanálise da PUC-PR em Curitiba. 

Bom gente, na verdade descaso é descaso. Sei bem que uma coisa não justifica outra, afinal de contas, o que conta é o desejo. E mesmo que sem tempo, se houvesse mesmo o desejo eu estaria aqui escrevendo no Blog ao invés de passar o dia inteiro no estagio e depois a noite estudando. Afinal de contas o que são 20 minutos?
Bom, para quem tem desejo é quase nada. Para quem não deseja é uma eternidade.

1 minuto para o time que esta ganhando é a possibilidade de tomar um gol e ser desclassificado do campeonato, é eterno.

1 minuto para o time que está perdendo passa voando. É a possibilidade da derrota que está logo ali e que deve ser evitada a qualquer custo.

Acho que esta proposta de 1 minuto só vale para quem não quer perder. Afinal, 1 minuto para quem quer perder é uma eternidade. Por um acaso é assim a vida na angústia e na depressão. 1 minuto para quem já se sente morto é contar 60 vezes o toque do ponteiro sentindo a cada toque como o badalar de um sino, sorrindo a eternidade daquele momento, daquele segundo de silêncio entre um som e outro, que a pessoa angustiada espera que seja o último para entrar de vez na eternidade, ou melhor dizendo, para simplesmente morrer e não ter mais que esperar o próximo som do clique que faz o relógio da parede.

1 segundo a mais faz toda a diferença também na Fórmula 1. Não minha gente não é o tempo que importa. Nunca foi o segundo ou a hora, mas nossas atitudes frente a vida, frente a morte, frente a nossa existência.

O filme espetacular "Amadeus" mostra com uma particularidade o que é o desejo e sua relação com o tempo.

Em uma cena em que a mulher de Herr Mozart vai encontrar e oferecer-se para Saliére, ela leva consigo uma obra inédita de Mozart. O tempo para ela esta passando de uma forma enquanto ela começa a despir-se. Enquanto que para Saliéri, o tempo é outro. Ele esta perdidamente absorvido na música escrita por Mozart, esquecendo-se completamente da bela jovem que se apresenta a ele quase que totalmente despida.

Para quem ve a cena fica a impressão de dois tempos muito distintos. Ela sem desejo algum naquele momento o tempo passa como que voando. Só tem tempo de mostrar os seios e tirar o chapéu. Para ele, quase que vivendo o momento de um orgasmo musical o tempo para e uma obra de mais de 2 horas consegue ser ouvida, imaginada, experimentada.

É meus amigos, foram-se os vinte minutos.

Um grande abraço e aguardem as novidades do blog muito em breve...


0 Clique aqui para comentários: :

Postar um comentário

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Grants For Single Moms