sábado, 9 de julho de 2011

Mudanças e mais mudanças... Pode ser???

Sinceramente esta novidade me pegou desprevinido.

Odiei, para não dizer um belo palavrão o que eu achei desta "novidade".

O que aconteceu foi o seguinte:

Estava eu conferindo as estatísticas aqui no blog, pela página de edição do Blogger, quando dou de cara com alguma coisa nova. 

A primeira impressão que tive foi de alguma coisa foi para algum lugar que não deveria ter ido. Mais ou menos o pensamento de que alguém faz uma bela duma ca..... e este alguém provavelmente (sim, não queria me dar conta no início de que a culpa era mesmo minha) era eu.

Gente, sem brincadeira nenhuma. Dormi uma noite e quando acordei estava tudo diferente aqui, o blogger havia mudado, refeito sua página completamente. Parece que há muito mais recursos que antes. Parece porque eu ainda estou de luto com a forma antiga de postar. Perdi aquela familiaridade em que eu me encontrava e encontrava meus textos, os comentários dos visitantes, as estatísticas, e tudo mais a qual eu já havia me acostumado.

Para piorar as coisas, esta nova versão do blogger, ao menos ao meu ver, deixou tudo mais difícil. É a tecnologia piorando (mais uma vez) minha vida.

Estou vivendo um momento de luto pós-traumático aqui. Sim, algumas pessoas devem estar rindo agora, pensando, que eu sou um histérico, ou ainda um psicótico daqueles mais metódicos que apresentam um TOC com as coisas todas arrumadas, sem nada fora do lugar. Na verdade pelo contrário. A única coisa que esta no lugar, ao menos aqui no meu quarto agora, neste momento é o piso. Sim, o piso, pois minha mãe deixa eu trocar.

Geralmente quando fazemos parte de uma mudança, e nos sentimos responsáveis por ela, acabamos nos acostumamos. É o que acontecia por aqui no blog, quando eu estava mudando o Layout, entre outras coisas. Mas já pararam para pensar que o "pode ser" do post anterior remete a uma posição frente a vida, e não tão somente a uma "escolha"?

Sim queridos leitores (daqui a pouco será apenas Leitor, rsrsrs) as mudanças que insistem em acontecer em nossas vidas são tão naturais quanto nossas idéias que modificam-se depois de um sonho, depois de uma conversa, ou simplesmente porque não queremos mais pensar daquele jeito. Mudanças não necessariamente indicam uma melhora, ou piora no estado geral da vida de uma pessoa, apenas costumo compreender como uma "melhor adequação" ao que está sendo aceito pela pessoa e pela sociedade.


Mudar muitas vezes não significa um grande esforço por parte da pessoa, basta deletar um número e nunca mais ligar para determinada pessoa, ou ainda, jogar fora o cartão de crédito e não passar mais do limite mensal. Ou também, aos mais tímidos, aventurar-se em uma balada sem conhecer ninguém. O que implica é a manutenção desta mudança no sentido de trazer um bem estar para as pessoa, isso sim, é complicado. 

Ao dizer de uma pessoa, espero pelo "desdizer", ele sempre vem, sempre retorna ao antigo, ao cômodo, ao verdadeiro e único momento de segurança que a pessoa pode ter, que é a repetição, o retorno à forma de pensar e ser de outrora.

Assistindo House no último episódio da 6º temporada (peço que os leitores me ajudem, é mesmo este episódio?) onde após a perda de uma paciente, House retorna a sua casa e depois de todo esforço, depois de toda luta contra o medicamento, ele aparece com o "Vicodin" em sua mão. Quando a Cuddy (futura namoradinha) aparece ele apenas diz algo muito parecido com: 

- Só para que você saiba, está bem dificil encontrar uma razão para não utilizar isso aqui.

Quando a mudança perde o sentido (justamente por estar resultando em novidades demais) a pessoa pode, diante de qualquer trauma (pensando que os traumas são normalmente subsequentes, o que explicaria uma pessoa reagir muito mal no luto de alguém que não conhece, mas quanto ao luto de membros familiares ela simplesmente conseguir lidar com maior serenidade), se desestruturar e retornar às antigas formas de ser.

Aquela propaganda do "pode ser" então, podemos pensar como um momento, onde anterior à mudança definitiva dos ideais, um momento onde ainda, talvez, não se tenham claros os objetivos, muito menos os caminhos, momentos estes que precisamos, em certa medida, em nossas vidas, pois é a partir do "pode ser" que conseguimos sair um pouco daquilo que estávamos sendo, planejando e nos encontramos verdadeiramente com outras possibilidades.

Claro que enquanto possibilidade existem melhores e piores. No caso do Blogger, foi para pior, rsrs. 

Mas, como nem tudo na vida depende somente de mim (ainda bem), então, fazer o que né.

Pode ser...

3 Clique aqui para comentários: :

Postar um comentário

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Grants For Single Moms